Shopping Cart

John Byrne – 70 anos!

John Byrne: O célebre criador americano celebra 70 anos!

No passado dia 6 de julho, celebrou-se o 70º aniversário de John Byrne, um dos mais influentes criadores de BD americana de super-heróis, aclamado pela sua capacidade de reinventar personagens e voltar a focar heróis clássicos nas suas características originais.

Embora seja uma figura controversa e os seus conflitos com fãs e editoras sejam bastante conhecidos, o seu trabalho está associado a alguns dos momentos mais importantes da história de heróis como os X-Men, Homem-Aranha, Super-Homem e Quarteto Fantástico.

John Byrne nasceu em West Bromwich, Inglaterra e aos 8 anos foi viver para o Canadá, onde começou a ler revistas de super-heróis. Estudou no Alberta College of Art and Design em Calgary e começou a trabalhar para a editora Charlton Comics a meados dos anos 70 do século passado, com uma das suas criações: o robot Rog-2000.

O seu primeiro trabalho para a Marvel foi publicado em 1975, na revista “Giant-Size Dracula #05”, passou por títulos como “Iron Fist” e “Marvel Team-Up” e no ano 1977 passou a ser o ilustrador principal da revista dos X-Men, trabalhando com o argumentista Chris Claremont e o arte-finalista Terry Austin. Juntos, criaram uma série de aventuras inesquecíveis dos heróis mutantes como os “Dias de um futuro Esquecido” ou “A Saga da Fénix Negra”, que serviram como inspiração para os filmes mais recentes dos X-Men.

Devido a desentendimentos com Chris Claremont, Byrne saiu dos X-Men e decidiu reinventar o Quarteto Fantástico, passando a ser argumentista e ilustrador da revista “Fantastic Four”. O trabalho realizado neste título ainda é considerado por muitos leitores como as melhores aventuras desta equipa de super-heróis, o único criador nível do trabalho de Stan Lee e Jack Kirby neste título.

Em paralelo com as aventuras do quarteto, Byrne foi o responsável pela revista da “Alpha Flight” (Tropa Alfa, em português) onde teve liberdade para experimentar técnicas narrativas e de ilustração que até agora não tinham sido utilizadas, culminando com a surpreendente morte do protagonista e líder do grupo na revista “Alpha Flight #12”.

Após o evento da “Crise nas infinitas terras”, da editora DC, Byrne foi convidado a reinventar a origem do Super-Homem, numa mini-série chamada “Man of Steel”, onde criou muitos dos elementos associados ao Super-Homem atualmente e recriou personagens como Lex Luthor, que deixou de ser um cientista maluco para passar a ser um implacável homem de negócios.

De regresso à Marvel, em 1987, John Byrne foi o responsável pela reinvenção de muitos heróis desta editora, como os “West Coast Avengers”, Namor, a Mulher-Hulk e Homem de Ferro.

Nos anos 90, Byrne criou projetos próprios como “Next Men”, “Danger Unlimited” e “Babe” pela editora Dark Horse. Colaborou também com Mike Mignola na criação de Hellboy e ao mesmo tempo redefiniu o Homem-Aranha e a Mulher Maravilha para a Marvel e a DC. Quando a sua série “X-Men: The Hidden Years” foi cancelada, deixou de trabalhar definitivamente com a editora Marvel Comics.

O seu trabalho recente tem incluído fotonovelas inspiradas em imagens de “Star Trek” e neste momento encontra-se a dar continuidade às aventuras de X-Men que desenvolveu nos anos 70, publicando as páginas no seu site (http://byrnerobotics.com/), mas sem autorização oficial da Marvel. 

[Texto publicado originalmente no Diário de Notícias da Madeira em julho de 2019]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

I accept the Privacy Policy