11 PM | 12 Jun

BD no DN: o regresso de Steve Rogers, Capitão América

05-06-2016 - MAIS : Zona Mista : MAIS 2010 : MAIS-21 - BD

Steve Rogers, Capitão América:  O herói com 75 anos que agora é um dos maiores vilões da Marvel!

O Capitão América celebra este ano o 75º aniversário desde a sua primeira aparição nas revistas de BD e a Marvel decidiu assinalar esta ocasião especial com uma nova revista e grandes mudanças na vida deste herói!

No ano 1941 foi publicada a revista “Captain America Comics #1”, onde um rapaz franzino chamado Steve Rogers participou em experiências secretas do exército americano e através do misterioso “Soro do super-soldado”, acabou por converter-se no herói que a América necessitava nesses anos sombrios de guerra.

Desde essa altura, Steve Rogers tem agido como um símbolo do patriotismo americano, lutando contra nazis e defendendo a liberdade dos oprimidos. Ao longo dos anos, tanto o herói como o seu alter-ego passaram por diversas transformações e várias pessoas vestiram o conhecido uniforme vermelho, azul e branco.

Nas edições recentes da Marvel, os leitores foram surpreendidos ao ler que os efeitos do Soro do super-soldado foram neutralizados e Steve Rogers passou a ter um corpo de idoso, correspondente à sua idade verdadeira. Como não tinha capacidade física para continuar a desempenhar o papel de super-herói, decidiu que o seu companheiro Sam Wilson, o Falcão, passaria a ser o novo Capitão América.

Esta fase finaliza este mês, pois os leitores das revistas mensais dos Vingadores podem acompanhar a saga “AVENGERS: STANDOFF”, um grandioso evento que tem reflexos em todas as revistas mensais dos Vingadores e culmina no regresso de Steve Rogers como Capitão América na revista “Captain America: Sam Wilson” #7, uma edição especial com 80 páginas que comemora o passado, o presente e o futuro do Capitão América.

Este gigantesco evento serve como prelúdio da revista “Steve Rogers: Captain America”, cujo primeiro número chocou os leitores americanos ao revelar que Steve Rogers sempre tinha sido um agente da HYDRA, uma organização maléfica que já enfrentou os Vingadores muitas vezes no passado. Esta revelação surpreendente causou ondas de indignação nas redes sociais e o argumentista Nick Spencer, responsável por esta reviravolta, chegou a receber ameaças de morte por ter idealizado tamanho ultraje!

(Publicado originalmente na revista MAIS do Diário de Notícias da Madeira do domingo 04 de junho de 2016)

08 PM | 22 Jun

Destaque da semana: Naruto, editado pela Devir (em português)

O destaque desta semana é para a série “NARUTO”, editada em português pela Devir, um best-seller mundial agora disponível em português a um preço imbatível!

BD-(Naruto)

NARUTO         

O “Mangá” mais vendido no mundo, finalmente em português!

Os fãs de animação japonesa (conhecida como “Anime”) estão familiarizados com a figura de Naruto Uzumaki, o jovem ninja da Aldeia Oculta sob as Folhas.

Criado por Masashi Kishimoto, começou a ser publicado no ano 1999 com argumento e ilustrações do seu criador. No ano 2002, os episódios da BD passaram a ser adaptados em vários episódios de “Anime”, aumentando ainda mais a popularidade do jovem ninja. As aventuras de Naruto estão entre as edições de “Mangá” (BD Japonesa) mais populares de sempre, com quase 132 milhões de exemplares vendidos no Japão até o final do ano 2012.

O primeiro volume, agora publicado em Português pela Devir, conta como a Aldeia Oculta sob as Folhas foi atacada por uma ameaça temível: a raposa demónio com nove caudas, que tirou a vida a muitos aldeões e ao chefe da aldeia, o “Hokage”.

Nas aventuras apresentadas neste primeiro volume, ficamos a conhecer o encantador Naruto Uzumaki, um rapaz desordeiro, hiperactivo e solitário que estuda na Academia Ninja e deseja tornar-se o “Hokage” da aldeia, posição que chegou a ser ocupada pelo seu pai. Mas o destino que verdadeiramente o espera é muito mais fascinante e complexo do que se imagina e será retratado com entusiasmo nos 64 volumes seguintes desta série que justifica o seu estatuto de “best-seller” da Banda Desenhada japonesa!

Na Sétima Dimensão, temos os volumes disponíveis em português e em inglês!

Contamos com a vossa visita!

Obrigado e até a próxima!

Roberto Macedo Alves

L7D
Livraria Sétima Dimensão, a única livraria especializada em Banda Desenhada na Madeira!

 

07 PM | 15 Jun

Destaque da semana: PAX ROMANA, por Jonathan Hickman

O destaque desta semana é o livro “PAX ROMANA”, da Image Comics, uma obra de Jonathan Hickman, o arquitecto de SECRET WARS e dos eventos recentes que estão a provocar o fim do Universo Marvel! É uma obra que segue uma abordagem diferente, mas com a qualidade típica das obras de Jonathan Hickman!BD---Pax-Romana

PAX ROMANA é uma obra de ficção especulativa do versátil autor americano Jonathan Hickman. Embora a primeira vista a premissa da “viagem no tempo” possa parecer já muito usada, este autor consegue criar uma história intelectualmente estimulante que ao mesmo tempo informa e entretém, enquanto aumenta o nosso interesse em conhecer melhor o mundo que a narrativa nos revela.

A história de “Pax Romana” inicia-se no ano 2045, num mundo onde o Islão conquistou a Europa e há uma crise moral e religiosa a vários níveis. Ironicamente, o Vaticano aplica fundos monumentais no CERN para tornar possível a viagem no tempo com o propósito de “destruir o passado para salvar o futuro”.
Para isso, o Papa ordena a criação de um exército privado de cinco mil pessoas: militares e cardeais, homens de ciência e de artes – que vão embarcar numa aventura sem regresso até o ano 312, na altura do reinado do Imperador Constantino, o primeiro Imperador Cristão com o propósito de “endireitar aquilo que foi mal feito naquela altura”, armados com o conhecimento de acontecimentos futuros.

Este grupo de homens, exilados no passado, com o propósito de “moldar” o novo futuro e armados com o poder militar, histórico, psico-social e estratégico do Século XXI, rapidamente faz que o mundo deixe de ser como o conhecemos e vemos como vários interesses pessoais, conflitos, egoísmos e o lado mais negro da natureza humana acaba por fazer que rapidamente os planos do Vaticano (e o destino do mundo) acabem por divergir radicalmente do plano inicialmente concebido.

Jonathan Hickman, conhecido pelo seu trabalho com super-heróis (é actualmente o argumentista de séries como “Fantastic Four” e “SHIELD” para a Marvel Comics) assumiu o papel de artista e argumentista nesta obra, que se destaca visualmente pela utilização de cores garridas e formas abstractas que rasgam a página e se misturam com a vinheta seguinte e orientam a leitura de forma invulgar para uma obra de Arte Sequencial.

Uma leitura estimulante e original, vale a pena pela exploração histórica/politica/religiosa que é explorada pela narrativa e acaba por ser uma obra onde a religião é confrontada com conspirações mas não como estamos habituados em livros como “O Código da Vinci” – mas através de um prisma de ficção científica.

—–

Um abraço e até breve!

Contamos com a vossa visita na Sétima Dimensão, para ver esta edição e outros livros e revistas de Banda Desenhada em português e em inglês.

Roberto Macedo Alves

L7D
Livraria Sétima Dimensão, a única livraria especializada em Banda Desenhada na Madeira!

 

10 AM | 17 Jun

BD no DN: Dias de um futuro esquecido

Todas as semanas na Revista MAIS do Diário de Notícias, é publicada uma página sobre BD como parte da “ZONA MISTA”. Aqui fica um dos nossos artigos mais recentes, sobre o novo filme dos X-Men: “Dias de um Futuro Esquecido” e as histórias de BD que lhe deram origem e seguimento.

É possível encomendar estes e outros livros na ZONA X da Sétima Dimensão: http://www.setimadimensao.com/x/

DOFP-DN

Título: “Dias de um Futuro Esquecido”

Sub-título: Uma aventura publicada originalmente no ano 1981 que inspirou o filme mais recente dos X-Men

 

Na passada quinta-feira 22 de maio, estreou o filme “X-Men: Dias de um futuro esquecido”, que marca o regresso do realizador Bryan Singer aos heróis mutantes da Marvel criados por Stan Lee e Jack Kirby em 1963.

Este filme consegue ser simultaneamente uma continuação de “X-Men 3” e “X-Men: O Início” e apresenta o elenco destes filmes representando versões passadas e futuras dos X-Men.

“X-Men: Dias de um futuro esquecido” foi baseado nas revistas “The Uncanny X-Men” número 141 e 142, publicadas no ano 1981. Com argumento de Chris Claremont e ilustrações de John Byrne e Terry Austin, esta aventura apresenta um grupo de X-Men que decide iniciar uma luta para evitar um futuro apocalíptico (no ano 2013!) e era dominado por robôs gigantes chamados “Sentinelas”, que exterminaram os mutantes e encerraram os poucos sobreviventes em campos de concentração.

Esta aventura é considerada uma das melhores dos X-Men e foi revisitada diversas vezes, enriquecendo muito mais este futuro distópico. No ano 1990, outros heróis da Marvel como o Quarteto Fantástico, X-Factor e os Novos Mutantes, juntaram-se aos X-Men para lutar contra uma ameaça proveniente deste futuro esquecido: um caçador de mutantes do futuro chamado Ahab.

Estas viagens desde o futuro alternativo, introduziram novas personagens como Rachel Summers, uma futura filha do Cíclope e da Fénix (que complicou ainda mais a emaranhada árvore genealógica destes super-heróis), ou a versão adulta de Franklin Richards, filho do Sr. Fantástico e da Mulher Invisível que tem o potencial para reformular o mundo se assim o desejar.

As viagens no tempo e consequentes alterações do presente que surgem nas aventuras da BD parecem ter sido aproveitadas para reorganizar o universo cinematográfico dos X-Men, possibilitando que as duas versões que conhecemos do Professor Xavier (interpretado por Patrick Stewart e James mcAvoy) e Magneto (interpretado por Ian McKellen e Michael Fassbender) possam coexistir lado a lado num filme que está repleto de emoção e já é considerado o melhor dos filmes dos X-Men. 

05 PM | 21 Jan

BD no DN: WOLVERINE

De 15 em 15 dias, a Sétima Dimensão contribui para a ZONA MISTA, escrevendo sobre BD na revista MAIS do DIÁRIO DE NOTÍCIAS da MADEIRA.

Partilhamos com os nossos amigos e clientes estas críticas e recomendações.

 [Título:] WOLVERINE

[Sub-título:] “O melhor naquilo que faz… mas o que faz não é nada bonito”

No passado dia 25 de Julho estreou o filme “The Wolverine” que volta a trazer ao cinema um dos mais populares membros dos X-Men. Wolverine surgiu pela primeira vez no ano 1974 na revista “The Incredible Hulk”, criado por Len Wein e John Romita. Inicialmente era apenas uma personagem secundária que enfrentava o Hulk, mas no ano 1975, acabou por ser incluída na nova equipa dos X-Men, pela mão de Chris Claremont e Dave Cockrum. Em poucos anos, tornou-se tão popular que teve direito a uma mini-série em 1982 desenhada pelo conhecido Frank Miller, publicada em português com o título “EU, WOLVERINE” e que serviu de base para a adaptação que agora estreou no cinema. Nessa altura, apesar da sua popularidade, pouco se sabia do passado deste herói que tinha garras, ossos cobertos com um metal inquebrável – “Adamantium” – e um factor de cura que lhe permitia regenerar todas as feridas. Para esclarecer estas questões dos leitores, foi publicada no ano 2000 a mini-série “Wolverine: Origem”, onde os seguidores da personagem ficaram a saber que Wolverine tinha nascido por volta do ano 1880, o seu nome verdadeiro era James Howlett e fazia parte de uma família abastada. Manifestou os seus poderes pela primeira vez num momento de tragédia familiar e foi expulso de casa. Foi mineiro, militar na Primeira Guerra Mundial, pára-quedista, companheiro do Capitão América na Segunda Guerra Mundial, Agente Secreto, membro dos Vingadores e cobaia no programa secreto “Arma X”. Tendo em conta a longevidade de James Howlett, ainda há muitas aventuras por contar do passado (e do futuro) do mutante, que continua como um dos mais populares da editora Marvel. A sua presença constante em revistas, livros, desenhos animados, jogos de computador e consolas não desgastaram a imagem deste mutante nascido no Canadá e que continua a afirmar que é “o melhor naquilo que faz… mas o que faz não é nada bonito”.

Quem nos visitar entre os dias 16 e 23 de Agosto, terá 15% de desconto em todos os títulos doWOLVERINE, em inglês ou português!

11 PM | 24 Jan

BD no DIÁRIO :: O Zen de Steve Jobs

Quinzenalmente, a página sobre Banda Desenhada da revista MAIS do Diário de Notícias, é da nossa responsabilidade. A partir de agora, vamos partilhar convosco as críticas, textos e opiniões que já foram publicadas.

Começamos com a crítica que foi publicada na revista MAIS do DIÁRIO DE NOTÍCIAS da MADEIRA no dia 13 de Janeiro de 2013!

O Zen de Steve Jobs

 

TÍTULO: O ZEN DE STEVE JOBS

SUB-TÍTULO: CRIATIVIDADE, MAÇÃS, AMIZADE E BUDISMO ZEN

Todos ouvimos falar do genial Steve Jobs, um dos fundadores da Apple: o homem que queria mudar o mundo e “deixar uma marca no Universo”, segundo as suas próprias palavras.

Uma das suas grandes influências foi um monge Budista Zen chamado Kobun Chino Otogawa, que emigrou para os Estados Unidos nos anos 60 e conheceu Steve Jobs desde a sua juventude, quando Jobs manifestou interesse pelo Budismo Zen. Pouco se conhece sobre a amizade entre Steve Jobs e Kobun Chino, embora saibamos que Chino era uma influência tão relevante na vida de Jobs que foi este monge Budista quem oficiou o casamento entre o fundador da Apple e Laurene Powell.

O livro, com argumento do jornalista da Forbes Caleb Melby e ilustrações da equipa JESS3 (uma agência criativa que se especializa em visualização de dados) apresenta várias fases da vida deste génio criativo, reimaginando (a partir da pouca informação que se conhece) como poderá ter sido a amizade entre Steve Jobs e Kobun Chino e de que forma esta influência ajudou a moldar a Apple e os produtos que a tornaram popular.

Ao longo destas páginas não encontramos propriamente uma biografia de Steve Jobs, já que apenas são referidos alguns elementos pontuais da sua vida, mas encontramos uma reflexão muito interessante sobre a amizade e as influências do Budismo Zen nos nossos processos de raciocínio e criatividade.

As ilustrações, as cores e o diálogo são minimalistas – perfeitamente enquadrados na filosofia da Apple e mais do que transmitir informação ou contar uma história, esta obra tenta descrever um sentimento e imaginar como poderá ter sido a amizade entre estes dois “outsiders” que de certa forma influenciaram em grande medida o mundo ocidental.

Publicada inicialmente em Janeiro de 2012, chega finalmente a Portugal editada pela Devir, com uma tradução de qualidade, edição em capa dura e uma excelente apresentação, uma obra imperdível para os fãs da marca da maçã.

___________________________________________________________

Se alguém estiver interessado neste livro, pode adquiri-lo na Livraria Sétima Dimensão! Fazemos 15% de desconto a quem refira que leu este artigo da revista do DIÁRIO no nosso site!